07 Jul

Artigo: Movimento sindical precisa reagir aos ataques do governo à dignidade e aos direitos dos servidores públicos

Publicada em: 07/07/2020

Por Lourdes Marinho

Edição: Nilza Murari

As investidas e ataques do governo federal contra os servidores públicos, tanto na sua dignidade quanto nos seus direitos, são enumerados em artigo pelo analista político Antônio Augusto de Queiroz.  O corte de direitos e ameaças vai desde a reforma da Previdência, passando pelas mudanças na Lei de Responsabilidade Fiscal até a ameaça de reforma administrativa com eliminação de prerrogativas e redução de salário.

Outras investidas também são apontadas pelo estudioso, como uma nova reforma nas regras de transição da Emenda Constitucional 103; mais uma tentativa de implementar o regime de capitalização na Previdência e a redução salarial do servidor como forma de compensar novas despesas com programa emergencial durante a pandemia.

Para o analista político, o movimento sindical precisa reagir e desenvolver uma narrativa capaz de se contrapor a essa investida, que agora vem inserida em um discurso real de equilíbrio das contas públicas, em face da perda de receita recente. Ele entende que é preciso demonstrar que outros setores, cuja renda não tem natureza alimentar, devem dar sua cota de sacrifício antes de atacar os direitos dos servidores.

Confira aqui íntegra do artigo.  ​