03 Jul

Fonasefe questiona SGP do Ministério da Economia sobre retomada do trabalho presencial dos servidores

Publicada em: 03/07/2020

Por Dâmares Vaz

Edição: Nilza Murari

O Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais – Fonasefe, que o SINAIT integra, questionou representantes da Secretaria de Gestão de Pessoas – SGP do Ministério da Economia sobre o retorno ao trabalho em modo presencial, a suspensão do isolamento social e autorização para reabertura das unidades de trabalho para atendimento ao público.

A pauta foi tratada em reunião virtual nesta sexta-feira, 3 de julho. O SINAIT foi representado pelo diretor Bob Machado.

Para as entidades, não é o momento de retomada de atividades presenciais. Os dirigentes sindicais apontaram que, em parte significativa do País, a pandemia do novo coronavírus ainda está em curva crescente.

O secretário de Gestão e Desempenho de Pessoas, Wagner Lenhart, informou aos dirigentes sindicais que a SGP orientou a cada órgão avaliar o melhor momento de retorno ao trabalho presencial de acordo com a realidade da região onde está localizado, considerando as normas estaduais e municipais.

Os representantes dos servidores lembraram, no entanto, que muitos governos estaduais estão indo de encontro às medidas recomendadas pelas autoridades de saúde, abrindo as atividades mesmo com os casos de Covid-19 em ascensão em suas regiões.

Lenhart então destacou que a sugestão da SGP é a de que o retorno seja feito gradualmente, com jornadas diferentes, revezamento e manutenção do afastamento do grupo de risco. O secretário disse que vai analisar as argumentações das entidades e prometeu uma nova reunião para poder respondê-las.

O secretário adiantou ainda que a SGP trabalha com a perspectiva de tornar o trabalho remoto mais presente na Administração Pública no pós-pandemia, com base nas experiências acumuladas nesse período. “Acreditamos que, para algumas atividades, esse trabalho remoto pode ser vantajoso para a Administração”, disse o secretário.

Consignações

Além da questão do retorno ao trabalho presencial, as entidades levaram à SGP problemas que estão ocorrendo com as consignações, como cancelamentos sem autorização ou solicitação do servidor e questionamentos judiciais. O secretário também prometeu um retorno sobre o assunto em reunião posterior.

Pela SGP, participaram ainda da conversa o diretor do Departamento de Relações de Trabalho no Serviço Público, Cleber Izzo, o coordenador-Geral de Negociação Sindical no Serviço Público, José Borges de Carvalho Filho, e o analista Técnico-Administrativo João Gabriel. ​