01 Out

BA: Delegacia do SINAIT mobiliza lideranças sindicais e políticas contra fechamento da Gerência de Camaçari

Publicada em: 01/10/2019

Por Solange Nunes, com informações da Delegacia Sindical do SINAIT na Bahia
Edição: Nilza Murari

Os dirigentes da Delegacia Sindical do SINAIT na Bahia – DS/BA promoveram reuniões com Auditores-Fiscais do Trabalho, lideranças sindicais e políticas contra ameaça de fechamento da Gerência Regional do Trabalho em Camaçari – GRT Camaçari, na Bahia.  

Nestes encontros, sindicalistas, Auditores-Fiscais do Trabalho e autoridades propuseram audiências com autoridades dos Poderes Executivo e Legislativo municipal e estadual, audiências públicas sobre o tema na Câmara Municipal e na  Assembleia Estadual; divulgação das ameaças de fechamento da Gerência de Camaçari e a convocação da população de Camaçari e região para participar das atividades e mobilizações contra o fechamento da unidade.

A GRT Camaçari está em atividade há várias décadas. A unidade presta serviços à população e empresas, como, por exemplo, emissão de Carteira de Trabalho, recepção dos requerimentos do Seguro-Desemprego e de denúncias de trabalhadores e de sindicatos sobre irregularidades trabalhistas, além da mediação de conflitos coletivos. Os atendimentos prestados não ocorrem apenas no município de Camaçari, mas também em outros 42 que integram sua circunscrição fiscal. A região conta com atração de novos investimentos, experimentando atualmente um novo ciclo de expansão, que representa mais de 20% do PIB do Estado. O município é conhecido como “Cidade Industrial” por abrigar um grande Polo Industrial.

De acordo com o delegado sindical do SINAIT na Bahia, Roberto Miguel Santos, o fechamento da Unidade representa sérios prejuízos para toda a comunidade. "A GRT-Camaçari atende a uma das regiões mais industrializadas do país. Petroquímica, automotiva, siderúrgica, cerâmica, termoplástica são algumas das atividades, além de reflorestamento, citricultura e tantas outras. É inaceitável que se cogite o fechamento de uma unidade dessa importância", alertou.

Roberto Miguel disse ainda que todos os esforços estão sendo empreendidos no sentido de que a ameaça não se concretize. “Mesmo integrando a Região Metropolitana de Salvador, as atividades da GRT-Camaçari são diferenciadas pelo porte da região e relevância econômica para o Estado, o que justifica, de forma inequívoca à sua manutenção”, afirmou.​