23 Ago

Trabalho escravo: filme Pureza está na Globoplay

Publicada em: 23/08/2022

Trabalho escravo:  filme Pureza está na Globoplay

O filme, vencedor de 28 prêmios nacionais e internacionais, é inspirado na história real de Pureza Lopes Loyola, uma mãe brasileira

Por Cristina Fausta

O SINAIT informa que a história comovente e real sobre o trabalho escravo retratada no filme Pureza está disponível, agora, com exclusividade, na Globopaly. O longa é inspirado na vida de uma mãe brasileira que lutou para livrar seu filho do trabalho escravo, crime caracterizado por serviços forçados, jornadas intensas que podem causar danos físicos, condições degradantes e restrições de locomoção em razão de dívida contraída com empregador ou preposto.

O crime é fortemente combatido pela Auditoria Fiscal do trabalho. O prática, tipificado no art. 149 do Código Penal, ainda é comum no Brasil. Dados do Painel de Informações e Estatísticas da Inspeção do Trabalho no Brasil (Radar da SIT) ainda trazem números estarrecedores. De 1995 a 2022, foram resgatados 58.166 trabalhadores. 

O filme

O longa, vencedor de 28 prêmios nacionais e internacionais, é inspirado na história real de Pureza Lopes Loyola, uma mãe brasileira, interpretada pela atriz Dira Paes, que luta para livrar seu filho do trabalho escravo e se torna símbolo desta causa no mundo inteiro, sendo agraciada em 1997, em Londres, com o Prêmio Antiescravidão, conferido pela organização não-governamental britânica Anti-Slavery International, a mais antiga organização abolicionista em atividade.

Durante a jornada, ela encontra uma fazenda que emprega um sistema de aliciamento e cárcere de trabalhadores rurais. Ainda à procura do filho, ela passa a trabalhar neste lugar, testemunhando o tratamento brutal sofrido pelos empregados, além do desmatamento ilegal de florestas. Lutando contra um sistema perverso e poderoso, esta batalhadora mulher enfrentou a tudo e todos que ficarem à sua frente, sempre com uma fé inabalável e a esperança de encontrar o filho.  

Atuação do Sinait

O SINAIT apoiou a divulgação do filme com objetivo de sensibilizar autoridades e a sociedade sobre a importância de que todos conheçam e se engajem em atividades pelo fim desta prática criminosa. O longa oficialmente lançado no dia 19 de maio de 2022, mas antes disso, o Sindicato levou a questão para o Fórum Social Mundial Justiça e Democracia (FSMJD), que aconteceu em Porto Alegre (RS), quando promoveu uma sessão para exposição do longa “Pureza” com a presença de diretores e delegados do SINAIT e de uma grande plateia interessada no tema.

Nesta mesma ocasião, os Auditores-Fiscais do Trabalho, Claudia Marcia e Sérgio Carvalho, juntamente com produtor do filme, Marcus Ligocki, promoveram um debate sobre o tema. Na conversa, intermediada pelo Auditor-Fiscal do Trabalho, Alex Myller, a plateia teve mais informações acerca do trabalho escravo contemporâneo no Brasil e sobre a atuação do SINAIT e dos Auditores-Fiscais do Trabalho no combate ao crime.

Tuitaço

O Sindicato também aderiu ao tuitaço, realizado no dia 13 de maio, organizado pela produção do filme para divulgação da longa-metragem. A data escolhida para o movimento nas redes sociais não foi aleatória. Neste dia se comemora a abolição da escravatura no Brasil.

O SINAIT tem a expectativa de que a disponibilização do filme na Globoplay alcance o um grande número de pessoas e que, partir de reflexões e debates sobre a trama, sejam dados mais alguns passos em direção ao fim do trabalho escravo contemporâneo que ainda acontece em todos dos cantos do país.  

como aquele em que seres humanos estão submetidos a trabalhos forçados, jornadas tão intensas que podem causar danos físicos, condições degradantes e restrição de locomoção em razão de dívida contraída com empregador ou preposto. 

Inspirado na história de Pureza Lopes Loyola, mãe que lutou para livrar o filho do trabalho escravo, o filme ‘Pureza’ chega ao Globoplay com exclusividade nesta sexta-feira, dia 19. Vencedor de 28 prêmios nacionais e internacionais, como o de Melhor Filme júri popular Mercosul no FAM 2020 e o Grande Prêmio do Público no Rencontres du Cinema Sud-Américain na França, entre outros, o longa tem roteiro de Renato Barbieri com Marcus Ligocki, e direção de Renato Barbieri. O filme foi produzido pela Gaya Filmes com a Ligocki Entretenimento. 

Na trama, Pureza (Dira Paes) é uma mãe solo que mora com seu filho, Abel (Matheus Abreu), em uma pobre região do Maranhão. Descontente com a vida que levam, o jovem resolve deixar o local para buscar emprego em um conhecido garimpo, com a promessa de dar uma vida melhor para a matriarca. Após meses sem notícias do filho, Pureza resolve sair em busca do rapaz.  

Durante a jornada, ela encontra uma fazenda que emprega um sistema de aliciamento e cárcere de trabalhadores rurais. Ainda à procura do filho, ela passa a trabalhar neste lugar, testemunhando o tratamento brutal sofrido pelos empregados, além do desmatamento ilegal de florestas. Lutando contra um sistema perverso e poderoso, esta batalhadora mulher enfrentará a tudo e todos que ficarem à sua frente, sempre com uma fé inabalável e a esperança de encontrar o filho.