28 Nov

Sinait e OIT dialogam sobre o futuro do trabalho no Brasil e mundo

Publicada em: 28/11/2018

Por Solange Nunes

Edição: Nilza Murari

O presidente do Sinait, Carlos Silva, e o diretor Marco Aurélio Gonsalves reuniram-se com o diretor da Organização Internacional do Trabalho no Brasil – OIT no Brasil, Martin Georg Hahn, e o presentearam com o livro “Sinait 30 anos: uma trajetória de lutas e conquistas”. Na ocasião, dialogaram sobre o futuro do trabalho no Brasil e no mundo e o momento de transição governamental. Participou também do encontro Maria Cláudia Mello Falcão, coordenadora nacional do Programa Internacional para a Eliminação do Trabalho Infantil – IPEC. A reunião ocorreu nesta terça-feira, 27 de novembro, no escritório sede da OIT no Brasil, em Brasília (DF).

Ao entregar o livro, Carlos Silva relatou ao diretor Hahn a caminhada do Sindicato Nacional, que foi criado no dia 7 de outubro de 1988, dois dias depois da promulgação da Constituição Cidadã. Contou os desafios e as lutas da entidade, que se renovaram no decorrer das décadas. “O Sinait atua ininterruptamente em defesa do Auditor-Fiscal do Trabalho e do trabalhador brasileiro. O livro registra vários episódios importantes destes 30 anos de história”.

O presidente aproveitou para reforçar a renovação dos compromissos do Sinait com a Inspeção do Trabalho e a proteção social do trabalho. Além disso, falou sobre as incertezas postas sobre o Ministério do Trabalho – MTb e a Inspeção do Trabalho. Expôs ainda as avaliações e preocupações sobre os cenários indefinidos, neste momento de transição, quanto ao futuro governo.

Carlos Silva ressaltou a importância do espaço junto à OIT para dialogar e reforçar a visão do Sindicato Nacional de fatos no panorama internacional. “Nos colocamos à disposição para contribuir com informações e dados sobre o tema no Brasil, destacando a relevância da atuação dos Auditores-Fiscais do Trabalho para o país”.

O presidente renovou a preocupação e debateu sobre o número reduzido de Auditores-Fiscais do Trabalho, o contingenciamento orçamentário que paralisou em várias ocasiões a plena atuação da Fiscalização do Trabalho, as questões normativas da carreira, entre outros temas, inclusive que foram motivo de denúncias recentes à OIT.

Após a exposição, Carlos Silva pediu ao Martin Hahn que a OIT, como um organismo técnico dedicado às questões do mundo do trabalho, recepcione as reivindicações do Sinait. “A carreira Auditoria-Fiscal do Trabalho é fundamental para as relações de trabalho no Brasil e no mundo. Esperamos contar com o apoio do organismo para seu fortalecimento no país”.

O diretor Martin Hahn agradeceu as contribuições do presidente Carlos Silva. “O encontro foi importante para entender a situação”, disse o diretor da OIT.​