14 Set

RJ: Dirigentes sindicais tratam da desocupação da SRT-RJ com assessor do MTb

Publicada em: 14/09/2018

Obras no local para onde o governo pretende transferir a Superintendência estão paradas. Diante da constatação do uso dos dois andares do prédio pela SRT/RJ, emissário do MTb entendeu que não existe a possibilidade de mudança.

Por Lourdes Marinho 

A situação do prédio do Palácio do Trabalho, onde funciona a Superintendência Regional do Trabalho do Rio de Janeiro -  SRT/RJ, foi tratada pelo presidente da Delegacia Sindical do Sinait no Rio de Janeiro - DS/Sinait-RJ, Daniel Ferreira, e pelas diretoras Lívia Valle e Marilúcia Almeida nesta quarta-feira, 12 de setembro. Os dirigentes sindicais foram recebidos por Joel Amaral Júnior, assessor Especial do Ministro do Trabalho, Caio Luiz de Almeida Vieira de Mello, e pelo superintendente Regional do Trabalho do Rio, Alex Bolsas.

Na ocasião, Amaral informou que o ex-ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, devolveu o prédio, ocupado há 80 anos pela SRT/RJ, à Superintendência de Patrimônio da União – SPU. Disse que veio visitar o local para verificar se o décimo segundo andar e o anexo estavam desocupados, como informou o presidente do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro - TRT/RJ, Fernando Antônio Zorzenon da Silva. Segundo ele, o Zorzenon entregou, pessoalmente, um ofício ao ministro do Trabalho, cobrando a entrega desses pavimentos, uma vez que estariam desocupados.

De acordo com Amaral, o prédio que deve receber a Superintendência, na Rua General Justo, número 275, está com as obras de reforma paradas. Diante da constatação do uso dos dois andares pela SRT/RJ, o assessor entendeu que não existe a possibilidade do cumprimento do pedido. Informou ainda que a reforma levará, no mínimo, um ano para ser concluída.

Daniel Ferreira explicou ao emissário do MTb que essa desocupação da SRT/RJ para outro endereço não está sendo tratada de forma amistosa, como foi informado pelo presidente do TRT/RJ. Que as entidades representativas dos Auditores-Fiscais do Trabalho, Afaiterj e DS/Sinait/RJ, e dos servidores administrativos, Sindicato dos Trabalhadores Públicos Federais em Saúde e Previdência Social no Estado do RJ - Sindisprev, juntamente com entidades representativas dos trabalhadores, entre outras, estão na luta para que não haja o despejo.

Atos públicos, manifestações, audiências públicas ocorridas na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro - Alerj, abaixo-assinado de parlamentares - com mais de 50 assinaturas de deputados Federais e 12 senadores - assim como o abaixo-assinado eletrônico com mais de 600 assinaturas e denúncia à Controladoria-Geral da União no Rio de Janeiro - CGU/RJ estão entre as iniciativas tomadas pela categoria para barrar a mudança de sede.  Também está em curso, uma Ação Civil Pública impetrada pelo Sinait na Justiça Federal do Rio de Janeiro. “Diante dos fatos, verificamos que a luta é árdua mas iremos resistir”, disse Daniel.

“Queremos agradecer ao presidente do Sinait, Carlos Silva, que intermediou este encontro com o assessor do Ministério do Trabalho e ao superintendente da SRT/RJ, Alex Bolsas, que abriu seu gabinete aos representantes sindicais da categoria dos Auditores Fiscais do Trabalho”, finalizou.