09 Mar

FSM 2018 – Resistir, criar, transformar

Publicada em: 09/03/2018

Sinait participa do Fórum trazendo, mais uma vez, a realidade do trabalho escravo no Brasil e o papel dos Auditores-Fiscais do Trabalho no combate ao crime

Por Nilza Murari

O Sinait participa, de 13 a 17 de março, em Salvador (BA), da 13ª edição do Fórum Social Mundial 2018. O tema geral deste ano é “Resistir é criar, resistir é transformar”, que pretende pensar saídas comuns para a humanidade, numa ótica solidária, democrática e de respeito às diversidades. São esperados participantes de 120 países, mantendo a característica do evento de ser um espaço plural e multifacetado.

No dia 13, a partir das 15 horas, haverá a Marcha de Abertura do Fórum – O Encontro das Diversidades das Lutas. Tradicionalmente, os participantes desfilam faixas, bandeiras, banners e outros adereços que representam suas lutas e ideias. O percurso sairá da praça do Campo Grande, passando pela Avenida Sete, até a Praça Castro Alves, palco de grandes manifestações de luta e resistência baiana. Serão quatro quilômetros de caminhada, em que milhares de pessoas tomarão as ruas do Centro de Salvador. O desfecho, aos pés do poeta Castro Alves, na “Praça do Povo”, como é conhecida, a grande abertura contará com um palco para apresentações culturais, performances artísticas e musicais. O intuito da marcha é estimular organizações, coletivos, redes e pessoas a expressarem suas lutas por “Um outro mundo possível!”, que é o lema que sempre moveu o Fórum, desde a sua primeira edição, em Porto Alegre (RS).

Nos dias seguintes haverá centenas de atividades autogestionadas, ou seja, sob a responsabilidade das entidades e organizações que as propuseram. São atividades culturais, políticas, sindicais, que discutirão assuntos ligados a eixos gerais, como o Mundo do Trabalho, Direitos Humanos, Desenvolvimento, Justiça Social e Ambiental, Comunicação, Tecnologias e Mídias Livres, Feminismo, Lutas das Mulheres, Paz e Solidariedade, entre muitos outros.

O Sinait inscreveu duas atividades que se inserem no Mundo do Trabalho, sob o mesmo tema: “A quem interessa o trabalho escravo? Os Auditores-Fiscais do Trabalho combatem esse crime!”. A primeira, um seminário, ocorrerá no dia 14 de março, às 9 horas, no auditório Magno Valente da Escola Politécnica, com exposições do presidente do Sindicato, Carlos Silva, e dos Auditores-Fiscais do Trabalho Lucas Reis, Mônica Duailibi, Renato Bignami, Vanius Corte, entre outros. A segunda, a instalação da mostra fotográfica do Auditor-Fiscal do Trabalho Sérgio Carvalho, permanecerá aberta durante todo o período do FSM 2018, no hall da Biblioteca Central da Universidade Federal da Bahia, próximo às tendas do FSM, em local de grande circulação de pessoas.

Histórico

A 1ª edição do Fórum Social Mundial ocorreu no ano de 2001, em Porto Alegre (RS), com o objetivo de se contrapor ao Fórum Econômico de Davos, na Suíça. A ideia era convergir lutas e debater alternativas ao modelo econômico neoliberal. O sucesso do evento em Porto Alegre e das edições posteriores estabeleceram um espaço de resistência a todas as formas de dominação e exclusão. Além do Brasil, o FSM ocorreu na Índia, em 2004; no Quênia, em 2007; e Tunísia, em 2013 e 2015. O Sinait participou de todas as edições realizadas no Brasil.