04 Dez

Futuro do trabalho é tema de seminário na Unicamp

Publicada em: 04/12/2017

Por Andrea Bochi

Edição: Nilza Murari

“O trabalho contemporâneo: crise e possibilidades” foi o tema do seminário internacional promovido pelo Centro de Estudos Sindicais e Economia do Trabalho - CESIT, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas IFCH e faculdade de Educação da Universidade de Campinas - Unicamp, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Fapesp, nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro.

A diretora de comunicação do Sinait, Ana Palmira Arruda Camargo, participou do Seminário como ouvinte. “As palestras trouxeram muitas informações enriquecedoras sobre o panorama do trabalho ao redor do mundo, e apontaram a necessidade de constante reflexão e busca de saídas coletivas, numa conjuntura complexa e desafiadora”, comentou.

O evento, realizado no auditório do IFCH, contou com a participação de pesquisadores do Brasil, Argentina, Estados Unidos, Inglaterra, México, Portugal e Venezuela e teve como eixo as transformações no mundo do trabalho. Essas transformações foram abordadas do ponto de vista das mudanças no padrão tecnológico e também em relação às alterações nas legislações regulatórias e de proteção aos trabalhadores. Além disso, foram discutidas as possibilidades de resistência através de ações coletivas e as tendências do movimento sindical.

Os temas debatidos foram divididos em cinco mesas temáticas:

- “A reforma trabalhista na América Latina e seus impactos”, coordenada pela professora Magda Biavaschi (Unicamp) e palestras de Luiz Quintana (UNAM/ México) e Marilane Teixeira (Unicamp), com comentários de Carlos Salas (Unicamp);

- “Novas tendências do sindicalismo”, com palestras de Elísio Estanque (Universidade de Coimbra), José Dari Krein (Unicamp), Ivan Gonzales (Confederación Sindical de Las Américas) e comentários de José Ricardo Ramalho (UFRJ);

- “O futuro do trabalho na América Latina”, com palestras de Marcelo Manzano (Unicamp), Carlos Salas (Unicamp), Augustín Arakaki (Universidade Buenos Aires) e comentários de Roberto Veras (UFPB)

- “Novas experiências do trabalho”, com palestra de Daniele Linhart (CNS/GMT Genre Travail et Mobilité – França), Angela Araújo (Unicamp) e comentário de Jacob Carlos Lima (UFSCar) e

- “O futuro do trabalho”, com palestras de Carolina Knowles (University of London), Ruth Milkman (City University New York) e comentários de Márcia Leite (Unicamp)

Apesar de diferentes abordagens e diversas concepções, as cincos mesas de discussão tiveram como ponto central o avanço da precarização das relações de trabalho nas últimas décadas, decorrente do triunfo político e ideológico das políticas neoliberais que caracterizaram o período.

Com informações da diretora Ana Palmira Arruda Camargo.