10 Nov

GO: Secretaria de Segurança apresenta cronograma de recolhimento das armas das Polícias Militar e Civil

Publicada em: 10/11/2017

Governo Goiás estendeu o Termo de Interdição da fiscalização para as armas da Polícia Civil, que são do mesmo modelo e apresentam defeitos idênticos

Por Solange Nunes

Edição: Nilza Murari

Auditores-Fiscais da Superintendência Regional do Trabalho de Goiás - SRT/GO notificaram a Secretaria de Segurança Pública nesta quarta-feira, 8 de novembro, durante reunião em que a Polícia Militar de Goiás apresentou o mapa de localização das pistolas PT 24/7 PRO D, da fabricante Taurus, que são inseguras e perigosas para o uso dos policiais. A notificação exigia um cronograma e uma data de recolhimento das pistolas usadas pela corporação.

Nesta quinta-feira, 9, a Secretaria de Segurança Pública - SSP apresentou o cronograma e data de início do recolhimento à Auditoria-Fiscal do Trabalho na sede da SRT/GO, em cumprimento ao Termo de Interdição. A SSP decidiu, também, por motivo de segurança, estender, por meio de portaria, o ato de interdição das armas da Polícia Militar também para a Polícia Civil, que usa as mesmas pistolas. As duas polícias vão entregar, no total, cerca de 3 mil pistolas.

De acordo com a Auditora-Fiscal do Trabalho Jacqueline Carrijo, o recolhimento das pistolas começará na próxima terça-feira, 14, e não irá prejudicar os policiais militares e civis de Goiás. “O secretário de Segurança Pública informou que foram solicitadas, em substituição, pistolas da Força Nacional. Significa que os policiais não ficarão sem armamento para atividade policial”.  O prazo para o recolhimento gradual de todas as armas é de três meses.

Investigação

A medida de interdição e recolhimento das armas é resultado de investigação realizada de agosto a outubro deste ano por Auditores-Fiscais do Trabalho, que analisaram acidentes e incidentes reportados pela PMGO relativos ao armamento. O documento concluiu que as pistolas PT 24/7 PRO D são inseguras e perigosas para o uso dos policiais, o que exige o seu recolhimento imediato e a sua substituição por armas comprovadamente seguras.

Segundo Jacqueline Carrijo, “a arma de fogo segura para o policial é o equipamento de proteção pessoal, de defesa da sua vida e integridade física, bem como de defesa da sociedade. A arma de fogo não pode ser avaliada pela tropa como equiparada a um instrumento de agressão à integridade física do policial militar, e nem tampouco de ataque a outras pessoas”.

Interdição

Até o momento foram registrados 23 acidentes com vítimas na PMGO. Para prevenir acidentes futuros com policiais, seus familiares e terceiros envolvidos na ação policial a Auditoria Fiscal do Trabalho decidiu determinar o recolhimento imediato das armas PT 24/7 PRO D e a sua substituição por armas seguras.

A Auditora-Fiscal do Trabalho acredita que para esse problema só existe uma solução: o recolhimento imediato das armas PT 24/7 PRO D e a sua substituição por armas seguras. A arma interditada é insegura e está proibida para a atividade policial da PMGO”.

Assista aqui matéria sobre o caso.