11 Out

Exoneração de André Roston repercute nos meios de comunicação

Publicada em: 11/10/2017

Entidades apontam demissão como retaliação e ministro do Trabalho terá que dar explicações em Comissões do Senado

Por Lourdes Marinho

Edição: Nilza Murari

A exoneração do chefe da Divisão de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Escravo – Detrae do Ministério do Trabalho – MTb, Auditor-Fiscal do Trabalho André Esposito Roston, publicada nesta terça-feira, 10 de outubro, no Diário Oficial da União – DOU, está repercutindo nos meios de comunicação.

O afastamento é criticado pelo Sinait – que publicou Nota de Repúdio, por representantes do Ministério Público do Trabalho – MPT, por entidades da sociedade civil, do setor empresarial e de instituições públicas, que argumentam prejuízo para o combate ao trabalho escravo. As organizações associam o afastamento de André Roston às críticas de que a política de combate ao trabalho escravo estava sendo reduzida e às negociações de emendas pelo governo com a bancada ruralista.

Segundo informações veiculadas pelos jornais Folha de S. Paulo e O Globo, além de ter desagradado o governo federal ao informar a falta de recursos em audiência pública realizada no Senado, em agosto, André Roston foi dispensado justamente durante a negociação de votos na Câmara dos Deputados para barrar a nova denúncia contra o presidente da República, Michel Temer.

Em nota conjunta, as entidades argumentam que a exoneração compromete a erradicação do trabalho escravo e aponta “inexistência de vontade política e o descompromisso do atual governo com o enfrentamento do problema”, que consiste em grave violação de direitos humanos.

Demissão também está ligada à atualização da “Lista Suja”

A demissão também ocorreu depois de a Divisão de Fiscalização ter encaminhado ao ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, na sexta-feira passada, uma nova atualização da "Lista Suja do trabalho escravo" com a relação de empresas autuadas administrativamente pela prática do crime.

Foi a mais recente atualização da lista, que voltou a ser divulgada em março passado, depois de quase três anos de uma intensa disputa judicial entre governo e MPT. Em março, a lista tinha 68 empregadores.

Ministro será convocado para dar explicações no Senado

A Bancada do PT no Senado encaminhará requerimentos de convocação do Ministro do Trabalho em Comissões do Senado para explicar a exoneração do Auditor-Fiscal. O anúncio foi feito no plenário do Senado pelo líder da bancada, senador Lindbergh Farias (PT/RJ), nesta terça-feira, 10.

Confira nos links abaixo algumas notícias publicadas sobre o assunto. As mesmas notícias foram replicadas em sites por todo o país.

Jornal do Brasil

Jornal GGN

O Amarelinho

Blog do Sakamoto

Congresso em Foco

Blog do Servidor / Correio Braziliense

O Globo

Brasil 247

CPT Nacional

Unisinos

Portal Mais RO

Estadão

Racismo Ambiental

PT no Senado

Correio do Povo

Portal CTB

Carta Campinas

Jornal GGN

Diário Comércio Indústria & Serviços

Norte do Tocantins

WAP News

Sindicato da Construção Civil

Direto do Planalto